24/06/2020 às 11h33min - Atualizada em 24/06/2020 às 11h33min

Em meio à pandemia, gasto de brasileiros no exterior em maio é o menor para o mês em 16 anos

Rcpress
G1

Os gastos de brasileiros no exterior somaram US$ 200 milhões em maio, informou nesta quarta-feira (24) o Banco Central.

Na comparação com o mesmo período de 2019, quando as despesas no exterior totalizaram US$ 1,471 bilhão, a queda foi de 86,4%. Esse também foi o menor valor para o mês desde 2004, ou seja, em 16 anos.

O recuo aconteceu em meio à disparada do dólar e à escalada das tensões acerca do novo coronavírus, que resultou no fechamento de fronteiras e na suspensão de voos.

GASTOS DE BRASILEIROS NO EXTERIOR
Para meses de maio, em US$ milhões
2652653613614214214344342232233083083063062862861801801801804244244954956486481.0101.0107797791.1201.1201.6261.6261.8091.8092.2582.2581.4141.4141.1121.1121.6151.6151.4711.4712002001995199619971998199920002001200220032004200520062007200820092010201120122013201420152016201720182019202005001000150020002500
Fonte: Banco Central

Na parcial deste ano, as despesas de brasileiros em outros países somaram US$ 3,334 bilhões, com queda de 54,2% frente ao mesmo período do ano passado (US$ 7,283 bilhões).

"As reduções de viagens decorrem da recomendação de distanciamento social, da proibição de viagens entre alguns países e do tráfego aéreo", afirmou o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha.

De acordo com ele, os gastos de estrangeiros no Brasil e as despesas de brasileiros no exterior estão nos mesmos patamares nos últimos meses, devido à pandemia.

"Significa que, entre abril e maio, no que se refere a viagens internacionais, o cenário é o mesmo. Não houve diferenças ainda", disse.

 

Disparada do dólar

 

Em maio, o dólar recuou 1,90%, mas fechou o período em R$ 5,336 - patamar ainda elevado. No acumulado do ano, o avanço foi de quase 33%.

A moeda norte-americana tem registrado forte alta neste ano por conta disseminação do coronavírus, com os investidores avaliando o impacto dos pacotes de estímulo contra o fechamento das cadeias de suprimentos globais.

Com a disparada do dólar, as viagens de brasileiros ao exterior ficam mais caras. Isso porque as passagens e as despesas com hotéis, por exemplo, são cotadas em moeda estrangeira. O papel moeda também fica mais caro.

 

Pandemia e suspensão de voos

 

Além da disparada da moeda norte-americana, em março as medidas de fechamento de fronteiras começaram a ser anunciadas. A pandemia foi declarada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) no dia 11 de março, e os Estados Unidos anunciaram a suspensão de voos da Europa em 14 de março.

Em 17 de março, a Gol anunciou a interrupção de seus voos internacionais, enquanto o grupo Air France-KLM mudou sua política de remarcação de passagens. A Latam, a Azul e a American Airlines, entre outras, também anunciaram restrições por conta do fechamento de fronteiras.

 

No fim de maio, o presidente dos EUA, Donald Trump, informou que pretende retirar restrições de viagens que atingem o Brasil "assim que pudermos".

 

Gastos de estrangeiros no Brasil

 

De acordo com dados do BC, em maio deste ano os estrangeiros gastaram US$ 113 milhões no Brasil, com queda frente ao patamar registrado no mesmo mês de 2019 (US$ 418 milhões).

Já na parcial de 2020, as despesas de estrangeiros no Brasil somaram US$ 1,671 bilhão, com queda frente ao mesmo período do ano passado – quando totalizaram US$ 2,702 bilhões.

Para estimular o turismo no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro assinou no começo do ano um decreto para dispensar o visto de visita para turistas de Estados Unidos, Canadá, Austrália e Japão que viajarem ao Brasil.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp